segunda-feira, 2 de abril de 2018

Constança´s Easter gift - part 1



Este novo ano trouxe com ele um bom motivo para eu voltar a pegar nas minhas agulhas: a minha priminha Constança que fez três mesinhos na semana passada e que é o membro mais pequenino da nossa família. Uma princesa que veio encher de alegria os papás babados e a família mais chegada.
Como não consigo deixar passar estas alturas sem meter mãos na massa, que é como quem diz pegar nas agulhas e bordar algumas peças para a bebé e para os papás, fui comprar umas peças de bebé com espaços para bordar para dar de presente porque o resto dos materiais eu tinha em casa.
Estes são daqueles presentes especiais que gosto de fazer para oferecer nestas alturas pois são recordações que criam memórias que ficam para sempre: poder bordar algo para a minha prima mais pequenina e o facto deles receberem estas peças que fiz com tanto carinho para assinalar o nascimento da princesa.
Entre as indecisões iniciais entre escolher o que bordar, escolher entre o mais simples e o mais elaborado, pensar se queria algo com muitos bonecos ou não, achei por bem simplificar pois as peças por si só já eram bem engraçadas e não precisavam de bordados muito complexos para as realçar.
Estas duas peças não eram por si só um conjunto mas tornaram-se num pois os tons de vermelho eram muito parecidos: um babete branco com uma fita de viés de cor vermelha com pintinhas brancas e um lacinho vermelho a meio e um DMC soft toy joaninha que eu ao fim de alguns anos ainda consegui comprar como resto de coleção, um verdadeiro achado que só quem já conseguiu comprar peças descontinuadas sabe qual é a sensação que se sente.
É engraçado que uns dias antes de preparar as peças para bordar para a Constança, eu pensei que seria lindo bordar esta joaninha porque há uns anos largos eu já tinha bordado uma e queria muito poder dar uma à Constança mas eu tinha consciêncis de que seria difícil achar uma para comprar pois ela tinha sido descontinuada faz tempo. Mas não é que consegui comprar mesmo uma joaninha?
Eu acredito que quando queremos muito uma coisa, Deus a coloca no nosso caminho, assim como uma espécie de presente para nós e tenho quase a certeza de que foi o que aconteceu. Fiquei mesmo muito feliz por ter conseguido comprar este soft toy e dei mesmo um pulo de contente quando o consegui comprar pois não achava que seria possível.
E porquê um soft toy da DMC?
Em primeiro lugar porque são indicados para os bebés logo assim que nascem pois a DMC tem muito cuidado no fabrico destas peças. Em segundo lugar, só quem pertence ao mundo dos bordados é que os conhece e tem mais facilidade em comprar, embora nem todas as lojas e retrosarias os tenham disponíveis, tornando-os numas peças exclusivas e que acabam por ser presentes únicos por terem o pequeno babete para bordar e presonalizar porque mesmo que se comprem dois iguais nunca se bordam da mesma maneira. Depois esta coleção dos soft toys está sempre a ser renovada pela marca e o que se compra hoje amanhã pode já ter sido descontinuado, de maneira que há sempre novos peluches a chegar às lojas.
Assim, quando quero bordar presentes para recém nascidos a minha escolha recai nestes soft toys/peluches da DMC porque numa época em que é tudo tão igual para todas as crianças nas lojas de brinquedos, eu gosto de poder bordar estes soft toys por serem diferentes.
No babete optei por bordar apenas o nome, com um tipo de letra que faz lembrar a caligrafia que usávamos nos tempos da escola. A minha ideia inicial era bordar mais alguma coisa depois de bordar o nome mas gostei tanto da simplicidade da peça que optei por deixar ficar como estava pois mais alguma coisa ia tirar a beleza a este babete.

Já a joaninha soft toy/peluche da DMC optei por personalizar apenas com a inicial no mesmo tom de vermelho do corpo da joaninha. Tinha na minha caixa de linhas, uma cor de linha que era exatamente a mesma do peluche e do viés do babete e foi a que usei nas duas peças. Saiu então das minhas agulhas este delicioso soft toy personalizado que é só da Constança.

Numa época em que é tudo tão igual para todas as crianças nas lojas de brinquedos, eu gosto de poder bordar estes soft toys pois por um lado são diferentes e só quem pertence ao mundo dos bordados é que os conhece e tem mais facilidade em comprar, por outro lado acho que são presentes únicos por terem o pequeno babete para bordar e presonalizar e mesmo que se comprem dois iguais nunca se bordam da mesma maneira. Além de que são indicados para os bebés logo assim que nascem pois a DMC tem muito cuidado no fabrico destas peças e sempre que posso bordar presentes para recém nascidos a minha escolha recai nestes bonecos. a coleção é que está sempre a ser renovada e o que se compra hoje amanhã pode já ter sido descontinuado e há sempre novos peluches a chegar à coleção da marca.

Antes de fazer o embrulho consegui tirar umas fotos ao avesso das peças. 
Quando estava a bordar estes miminhos, lembrei-me que nestes anos todos em que tenho o blog nunca mostrei o avesso das minhas peças. Por norma, preocupo-me sempre em fotografar o direito dos trabalhos para colocar aqui no blog e nunca me lembro a tempo de fotografar o avesso mas desta vez consegui fotografar o avesso dos dois trabalhos. 
Se o avesso do soft toy foi fácil de fotografar, o avesso do babete foi mais complicado e apanhei na foto apenas metade do nome pois o lacinho já vinha cosido na peça quando a comprei, o que dificultou tirar uma foto em condições mas acho que dá para apreciar o avesso das duas peças nestas duas fotos que aqui publico.



Gráficos: DMC e nome feito por mim a partir de um alfabeto antigo




domingo, 25 de março de 2018

Preparing some works to stitch



Depois de tanto tempo sem pegar nas minhas agulhas, este último mês foi bastante produtivo no que ao ponto cruz diz respeito. 
Há três semanas atrás, enquanto preparava umas peças para bordar, lembrei-me que mostro sempre os bordados em andamento ou as fotos dos meus bordados já terminados mas esqueço-me sempre de mostrar a parte imediatamente antes dessas duas. Quase nunca mostro o que por vezes faço antes de começar a bordar, principalmente em peças mais pequeninas como peças para bebé, marcadores de livro ou ímans de frigorífico.
As fotos são de dois bordados de bebé a serem preparados. Por esta altura em que escrevo este post, os bordados já estão prontos e aguardam que eu possa passar nos correios para seguirem para o seu destino.
Só marquei mesmo os pontos cruz a cheio, nunca pingo a parte do delineado e essa fica sempre para seguir pelo gráfico.
As telas para bordar foram pingadas com canetas coloridas Frixion da Pilot que saem com o calor do ferro de passar a roupa, para mim são melhores que os marcadores laváveis pois se com os marcadores há uma cor ou outra que não sai na lavagem já com as canetas da Frixion as cores saem sempre todas mesmo as mais escuras.
Esta técnica designa-se por técnica do pingado. As meninas brasileiras que bordam a ponto cruz estão mais familiarizadas com o pingado do que nós mas depois de a experimentar posso dizer que facilita imenso na hora de bordar pois não é preciso estarmos sempre a olhar para o gráfico, basta seguir as cores com que pingamos a tela e o bordado faz-se muito mais rápido.
Muito resumidamente, para fazermos um bom pingado pegamos no gráfico, na peça que vamos bordar e nas canetas da Frixion. Depois de centralizarmos o bordado na peça pingamos o gráfico na tela e para isso basta ir com cada caneta fazendo um pontinho ou um tracinho na tela onde vamos bordar. pessoalmente prefiro uns pequenos tracinhos na diagonal, acho que as peças ficam muito melhor marcadas do que com os pontinhos. os pontinhos acho-os mais adquados quando usamos marcadores laváveis para marcar a tela.
                            
Nas duas fotos estão as canetas da Frixion Pilot que usei, um conjunto de 12 marcadores coloridos. Tenho também um conjunto de 6 cores pastel que só se vendem assim em conjuntos de 6 cores. Estas canetas Frixion Pilot também existem nas cores básicas (azul, vermelho, verde e preto) que se vendem avulso em qualquer papelaria ou hipermercado. Não são canetas específicas para tecido, são usadas nas escolas por crianças pois se se enganarem a escrever podem apagar o erro por fricção mas em tecido saem totalmente com o calor do ferro de passar a roupa.

Gráficos: DMC

quinta-feira, 15 de março de 2018

Serenity prayer bookmark


Na rua está desagradável, o Inverno tem-se feito sentir em força nestas últimas semanas. 
Chove imenso há perto de duas semanas quase consecutivamente, tivemos dois dias de sol se tanto, a temperatura desceu um pouco e estamos em alerta laranja por causa do mau tempo que se faz sentir. São dias péssimos para tirar fotos decentes para colocar aqui no blog.
Cá por casa esta altura do ano é propícia a boas leituras e também a fazer novos trabalhos ou mesmo a terminar outros já bordados mas que estão ali numa gaveta esquecidos à espera da altura ideal para os finalizar.
Eu queria muito mostrar o que tenho bordei nas últimas semanas e o que tenho agora em mãos mas são uns presentinhos para familiares e pessoas amigas. Ora como eu sei que podem vir ler o blog e como não quero estragar surpresas tenho que manter tudo no segredo dos deuses e longe dos holofotes do blog por enquanto. De maneira que a solução passa por mostrar algo que já bordei para mim.
É um bordado muito simples para fazer um marcador de livros que fiz com a oração da serenidade. Um bordado que ficaria lindíssimo em português mas que optei por bordar na versão inglesa. A versão em português seria com esta oração que aqui deixo:

Ó Deus,
concedei-me Serenidade
para aceitar as coisas
que não posso modificar,
Coragem para modificar aquelas que posso,
e Sabedoria para perceber a diferença.
Ámen

Para fazer este bordado escolhi uma cor diferente das que normalmente escolheria em bordados para mim mas que assim que vi este violeta lavanda bem suave na caixa das linhas de bordado achei que me transmitia a paz e a calma que eu queria para este marcador e nem pensei em escolher outra cor de linha.
Um marcador de livros que irá servir para me acompanhar nas leituras que necessitam de mais instrospecção e meditação. Porque não leio apenas romances ou policiais, gosto muito de ler livros de outras temáticas para cultivar e fortalecer a minha fé cristã.



Gráfico: Pinterest

segunda-feira, 12 de fevereiro de 2018

Little stitches for baby Zé Maria

No último ano tentei ser mais activa mas passou-se exatamente o contrário: o meu blog esteve muito parado e acabei de me dar conta de que estive praticamente 9 meses sem publicar nada.
As minhas agulhas à muito que estiveram paradas à espera que eu conseguisse voltar a pegar nelas. Tem havido sempre algo mais importante a acontecer à minha volta que me impediu de pegar nas agulhas até há poucos dias atrás.
Muito se passou nestes meses: gripes e outras quantas maleitas, o meu entorno familiar mais próximo doente e, mais recentemente, a perda de uma tia.
Mas como a vida é uma constante renovação, a família está a crescer e tivemos a chegada de um novo membro, uma menina muito fofinha que veio trazer muita felicidade e alegrias.
Os meus bordados têm estado parados mas isso não significa que eu deixei as artes de lado, pelo contrário.
Tenho sempre que ter a minha mente e as mãos ocupadas e descobri duas coisas bastante interessantes, que tal como os bordados me relaxam bastante. E assim sendo, tenho passado algumas horas interessantes nos últimos tempos dedicada à pintura e à fotografia. A fotografia já era algo que há muitos anos eu gostava de fazer mas não me tinha dedicado como ultimamente e tem sido bastante prazeroso.
Na falta de trabalhos novos e como tenho ainda bordados que fiz e que não publiquei na sua totalidade aqui no blog, deixo hoje um conjunto que fiz há uns anitos para um menino, o pequeno Zé Maria.
Uma fralda com um cão e um gato, que na altura achei muito fofos, quatro cores de linha no total, em tons de laranja e azul e um babete branco muito simples feito em azul turquesa para destacar na peça que era totalmente branca. 
Este babete foi das peças mais simples que já fiz, mas achei-o bem bonito na sua simplicidade (nota: a qualidade das fotos não é a melhor mas foi a possível naquela altura). 
A mamã gostou e eu fiquei contente por ter feito mais um miminho que deixou uma recém mamã feliz :) 

Em breve trarei novidades do que tenho agora em mãos, só preciso de saber como passar as fotos do telemóvel para o computador porque já estive a tentar mas por uma razão que desconheço não estou a conseguir


Gráficos: Revistas Labores de Ana e Appassionate di Punto Croce

terça-feira, 2 de maio de 2017

A bookmark for a friend



Na última semana, com a chegada do bom tempo, a vontade de bordar e de dar acabamento a alguns trabalhos que já tinha feitos chegou em força.
Não sei como é convosco mas os dias de sol trazem-me mais ideias para colocar em prática e foi desta forma que saiu este marcador de livros.
Bordado em tela branca cintilante, com linha verde e com uma mensagem linda perfeita. Os materiais que usei foram os de sempre, da minha marca favorita, DMC.
Quando chegou a hora de dar o acabamento, tive dúvidas sobre como o fazer na parte de trás. 
Iria fazer como nos anteriores e colar papel veludo autocolante ou desta vez ia inovar?
Experimentei de várias maneiras, ora com papel de veludo, ora com feltro mas não gostava de como ia ficar, cheguei a mudar as cores do feltro porque ainda achei que essa seria uma boa opção mas continuava sem gostar e resolvi seguir a minha linha de pensamento inicial: iria inovar e fazer algo diferente.
Segui assim uma ideia que já tinha tido e que, por medo ou receio, ainda não a tinha colocado em prática: desta vez iria usar tecido!!
Colei tecido normal mas a condizer com as cores da linha e da tela e o que eu cá tinha em casa era verde com pintinhas verdes, o que vinha mesmo a calhar para conjugar com o branco da tela e o verde da linha e só posso dizer que gostei muito de me atrever com esta ideia. Fica muito mais bonito e mais elegante. A fita é de organza verde. 


Eu gostei de o fazer e a minha amiga que gosta muito de ler, tal como eu, gostou muito. 
O melhor foi entregar esta lembrança em mãos e ver o olhar de felicidade estampado na cara de alguém. 
Ganhei o dia porque fiz alguém feliz no domingo. Tão bom este sentimento.



Gráfico: Pinterest 

segunda-feira, 3 de abril de 2017

Pièta

Parece que os dias muito frios durante o dia se foram embora, será? Pelo menos já mudou a hora e os dias têm agora mais horas de luz. 
O sol tem aparecido todos os dias, o que me alegra bastante e que me ajuda às dores que tenho tido nos ossos.
O bordado da foto foi outro que eu fiz há uns anos e que tinha ficado nos meus ficheiros sem ter sido ainda publicado aqui no blog.
Lembro-me bem de que tive uma aventura grande com este bordado.
Vi a foto numa revista italiana Mani di Fata, dedicada a esquemas de imagens sacras bordados a ponto cruz e comprei-a num quiosque minúsculo aqui da cidade, que hoje em dia já nem existe. 
A minha ideia era a de bordar este e um outro desenho que vi na mesma revista na esperança que os esquemas estivessem nos anexos que estavam dobrados em várias partes no meio da revista (nesse quiosque não nos deixavam folhear as revistas para vermos o que traziam).
Só que a desilusão foi grande quando, em casa e depois de retirar do meio os anexos com os esquemas, constatei que a revista trazia apenas alguns esquemas de alguns bordados e que os restantes teriam que ser vendidos à parte, no site da marca ou enviando para a marca um talão que vinha no meio da revista. Serviu-me de lição esta aventura pois a partir dessa altura nunca mais comprei uma revista sem me certificar de que nela vinham todos os esquemas.
Com o tempo acabei por perder a ilusão de o bordar até que uma amiga, que nutria a paixão pelo ponto de cruz, um dia me mostra alguns bordados que tinha feito e no meio das fotos que me enviou nesse dia vinha o bordado dela deste mesmo desenho já emoldurado e com uma moldura em tudo parecida à da foto da revista.
Fiquei a saber por essa minha amiga, que este esquema tinha saído entretanto numa revista espanhola e pedi-lhe o esquema, que muito gentilmente mo enviou pelo correio, acho que nunca umas fotocópias me encheram tanto de alegria. Obrigada amiga pelo envio que me fizeste e pela ajuda que me deste para eu poder fazer com que o meu bordado ficasse como o teu.
Foi assim que consegui fazer este bordado. 
Usei lugana branca da DMC e linhas que vinham indicadas no esquema, que, se não estou enganada, acho que também eram da DMC e recordo-me que usei dois fios de linha para bordar.
O trabalho em si é bastante grande e levou muita linha azul para fazer o fundo. Tive o cuidado de comprar um número de meadas todas na mesma altura para garantir que fossem do mesmo lote para não correr riscos de haver variações de cor, para que o fundo pudesse ficar todo ele uniforme e foi das primeiras coisas que bordei na tela.
No final, e em baixo, embora não se note muito bem na foto, também bordei a parte que não era suposto bordar a branco para ficar um rectângulo todo ele bordado a ponto cruz e sem pontos por fazer.
De resto, posso dizer que nem é um bordado que leve muitas cores. Se bem me lembro acho que levou no máximo 8 ou 10 cores, o que para um trabalho destas dimensões nem é um número muito grande de diferentes cores de linha.
A foto foi tirada em 2014, antes de assinar o bordado, de o passar a ferro e de o mandar emoldurar.



Gráfico: Revista Figure Sacre da editora Mani di Fata e Revista Las Labores de Ana 

sexta-feira, 24 de março de 2017

Baby gifts for Henrique and Filipa


O tempo tem estado bastante frio e chuvoso para estes lados, nem parece que já estamos na primavera. É um tempo que tem convidado a boas leituras no quentinho de uma manta no sofá.
Como tal, sem novidades fresquinhas, continuo a mostrar-vos trabalhos que ainda não estavam aqui no blog.
Nem sei como guardei estes quatro trabalhos no segredo dos deuses até agora, longe dos holofotes do blog pois foram quatro peças muito especiais para mim. Foram as primeiras peças de bebé que bordei. A partir daqui seguiram-se muitos outros, alguns já publicados aqui no blog, outros que ainda tenho para publicar.
Desta vez mostro-vos duas prendinhas para dois bebés que nasceram no ano de 2005.
Os dois primeiros babetes foram para o bebé Henrique, o primeiro filho de uma antiga colega da faculdade da qual eu era bastante próxima e que também gostava de bordar a ponto cruz.
Os babetes cor de rosa, que estão aqui em baixo,foram para a bebé Filipa, uma priminha minha que nasceu também em 2005.




Gráficos: Revista Rakam Especial Bebé