segunda-feira, 17 de setembro de 2018

I started to prepare next Christmas

Estamos naquela altura do ano em que as rotinas voltam a ser o que eram antes das férias, quem estava de férias regressa ao trabalho, os estudantes regressam às aulas, os dias começam agora com mais nevoeiro e as noites regressam um pouco mais cedo e mais frias do que antes, se bem que durante o dia tem estado bastante calor.
Quando chega setembro, eu lembro-me que estamos com o Natal ao virar da esquina. Há quem me esteja a ler e diga, txiiii para o Natal ainda falta tanto tempo! E eu digo que não falta assim tanto tempo quanto isso, em três meses mais dia menos dia, estamos lá e o tempo passa a correr.
Todos os anos digo a mim própria que isto de preparar o Natal tem que começar mais cedo, se não acontece como nos outros anos, começa o novo ano e o Natal acabou há muito pouco tempo, nessa altura acho que ainda é muito cedo para deitar mãos à obra para os bordados de Natal do próximo ano, depois o tempo vai passando, ando a pensar noutras coisas, tenho outros trabalhos em mãos e quando dou por mim, já passaram as férias e é um saltinho até ao Natal e constato que só posso bordar meia dúzia de coisas só para não deixar a época passar em branco no que aos bordados diz respeito.
Por isso outro dia quando vi que num dos grupos onde estou iam bordar um desafio de Natal, eu ainda pensei se valia a pena, tentei não bordar até porque quero muito fazer uma aventura do Peter Pan que é um tema que não aparece muito nas revistas de ponto cruz mas não resisti pois o Natal é das épocas do ano que eu mais gosto. O espírito festivo chega sempre em força cá a casa, nuns anos mais do que noutros, e eu já há uns anos atrás disse a mim própria que todos os anos ia bordar algo deste tema, nem que seja só uma coisa pequenina. Além disso, eu gosto de ter sempre algo novo para as decorações de Natal de cada ano e, como nem sempre se podem andar a comprar coisas novas, gosto de ser eu a fazê-las. Não sei como explicar, fica sempre algo mais pessoal, mais ao meu gosto e, mesmo não sendo algo de compra assim todo xpto, foi feito por mim com todo o carinho :) e nem por isso deixa de ser algo que tem aquele efeito tcharan. Vi os motivos do desafio e dei por mim a idealizar aqueles 9 motivos em peças mas a dúvida era "O que vou bordar?".
A árvore eu não sabia onde a bordar, enorme para as barras dos panos, uma toalha não é o bordado que penso fazer nos próximos tempos, esta é pequena para um caminho de mesa que cá tenho para bordar e gigante para fazer um imã de frigorífico. 
Demorei a começar este desafio pois a árvore de Natal era logo o primeiro motivo e sem a bordar eu não podia pedir o motivo seguinte mas sabe-me muito bem bordar algumas coisas assim, ir conquistando motivos à medida que vou bordando outros.
Entretanto, lembrei-me que tinha por cá um avental de garrafa pronto a ser bordado e eu ainda não tinha bordado nenhum até hoje, por isso resolvi juntar o útil ao agradável. 
Bordei o meu primeiro avental de garrafa e, embora eu o ache um pouco grande, pois nem todas as garrafas são assim tão altas, estou muito contente com o resultado final.
Foi um acaso o amarelo dos motivos ser da mesma cor do viés do avental de garrafa, desta vez calhou assim, embora eu às vezes escolha as cores para darem umas com as outras, mas desta vez resolvi que tenho que gastar linhas que tenho cá em casa.
Uma coisa é certa: este avental de garrafa vai ter lugar garantido na minha mesa de Natal e vai adornar uma das garrafas que irá para a mesa.



Gráfico: Dhébyart Ponto Cruz

quarta-feira, 5 de setembro de 2018

Little Red Riding Hood second update



As tardes e os serões de finais de julho e de princípios de agosto, renderam bastante para eu poder bordar a aventura do capuchinho vermelho. As férias têm sempre este efeito em mim, bordo sempre mais quando o tempo corre de outra forma. quando as rotinas deixam de o ser, quando há mais tempo livre.
Nem nos dias mais quentes, da onda de calor do inicio de agosto, eu deixei de bordar. Era o meu escape para me abstrair dos problemas de saúde de um familiar bem próximo e, naqueles dias que agora me parecem distantes, se bem que não decorreu muito tempo ainda, nada melhor do que usar as linhas num bordado bem fofo que serviu na perfeição no papel de meu anti-stress.
Mostro o quinto e o sexto motivos do bordado, o lobo mau e o lenhador. Assim que for possível mostro o bordado completo com os seis motivos bordados lado a lado, terei antes que remover os fios cinzentos da tela (só que como é uma coisa bem chatinha de ser feita, ficará para quando eu tiver mais disposição para fazer).



Gráficos: Ro Ponto Cruz

sábado, 11 de agosto de 2018

A aventura do Capuchinho Vermelho - Little Red Riding Hood first update


Eu gosto, nestes dias de verão, de aproveitar os serões para bordar, bem, na verdade, gosto de aproveitar os serões o ano inteiro, o ser no verão é mais uma desculpa para bordar.
Como nos últimos dois anos não bordei muito por razões de saúde, este trabalho é como um frasco de elixir que contém dentro dele o enorme prazer de bordar outra vez.
Nem na vaga de calor do último fim de semana as minhas agulhas estiveram paradas e o resultado é o que se vê, de seis partes do bordado já só me falta bordar duas: o lobo mau e o lenhador.
Não tenho seguido as cores dos gráficos, tenho visto as cores que tenho em casa e dessas tenho escolhido as que combinam entre si, algumas que se aproximam das cores pedidas nos gráficos mas sobretudo tenho escolhido as que a criatividade do momento me dita escolher e estou a gostar imenso de como a história vai ganhando forma.
Para quem me perguntou em privado, a tela que estou a usar é um quadrilé branco tira fios. As marcações cinzentas, que tanta curiosidade têm suscitado, são umas linhas de cor cinzenta que a tela  já trás de origem. Depois de bordar basta puxar que elas saem mas eu gosto de as ir cortando à medida que vou bordando (quem disse que tem que ser tudo convencional no mundo dos bordados e que temos que seguir à risca tudo o que as marcas nos recomendam ?).



Gráficos: Ro Ponto Cruz

quinta-feira, 2 de agosto de 2018

A aventura do Capuchinho Vermelho - Little Red Riding Hood

Há trabalhos que nos cativam seja pelas cores, seja pelos desenhos ou por ambos os motivos.
Este é um desses trabalhos que tem o seu quê de magia, que nos faz voltar a ser pequeninos e que nos cativa pela delicadeza.
É a história do Capuchinho Vermelho bordada a ponto de cruz.
Foi um desafio lançado num grupo mas que eu por distração só o vi quando o prazo estava quase a terminar. Pensei bem se me aventurava, se valia a pena, se iria ter tempo pois não tenho bordado muito nos últimos tempos porque as dores nos braços e ombros têm sido muitas nos últimos meses.
Só que como gosto de me superar e de me colocar à prova resolvi aventurar-me pois acabam por ser apenas seis personagens e que bom tem sido, pontinho a pontinho bordar uma história infantil, um trabalho algo diferente dos outros que tenho feito, nunca bordei nenhuma até hoje.
Mãos à obra, escolha da tela, das linhas e eis que a minha Capuchinho Vermelho já está bordada.
Estou a gostar imenso de poder bordar uma história infantil, acho que já le tomei o gosto de tal forma que estou a ponderar bordar mais.
Entretanto, já comecei a bordar a árvore do bosque e estou quase a começar a avózinha pois talvez entre hoje e amanhã eu acredito que consigo terminar a árvore com os cogumelos.





Gráficos: Ro Ponto Cruz

Constança's Easter gift - part 3



Com muito tempo de atraso mostro finalmente as últimas peças que bordei para a Constança.
Um babete com um gatinho muito fofo e uma fralda com inicial. Duas peças nas quais mantive a tendência das peças anteriores, a simplicidade acima de tudo.
O babete faz pandan com o conjunto que mostrei no post anterior, de porta biberão e porta chucha, pois o tecido rosa do babete tem as estrelinhas que são do mesmo tecido do miolo dos lacinhos. Já o tinha aqui mostrado antes mas apenas com a técnica do pingado, antes mesmo de começar a bordá-lo.
Por sua vez na fraldinha, como já trazia a rendinha aplicada e um boneco bordado onde estava inserida a tela para bordar, a minha escolha recaiu numa inicial do nome, a letra é igual à do soft toy joaninha, só que desta vez a inicial foi bordada em cor de rosa ;)
Sempre a simplicidade a reinar nestas peças que foram bordadas com muito carinho.

quinta-feira, 26 de abril de 2018

Constança's Easter gift - part 2


As peças que mostrei no post anterior não foram as únicas que fiz para a minha priminha Constança.
Achei que um porta chupeta e um porta biberão seriam os complementos perfeitos para guardar estes dois objectos que fazem parte do dia a dia de um bebé, seja para levar na bolsa no carrinho quando vão dar os seus passeios ou para ter sempre à mão sempre que forem precisos.
A minha escolha recaiu neste conjunto de duas peças. Os lacinhos cor de rosa e a fitinha com bordado inglês conquistaram-me quando vi o conjunto. O meio dos laços também é qualquer coisa muito cutchi cutchi, creio que se aprecia na foto que tem tecido cor de rosa com estrelinhas brancas. Para mim são detalhes bem simples mas que fazem as peças se destacarem pela simplicidade que as caracteriza.


O meu grande desafio foi conseguir achar dois gráficos que fossem ao mesmo tempo lindos, fofos, do tamanho certo para poderem ser bordados nestas peças porque a área para bordar era algo pequena e também teriam que ser dois gráficos que eu nunca tivesse bordado antes. Creio que consegui encontrar o que pretendia pois o resultado final superou as minhas expectativas.
O motivo que bordei no porta biberão foi um dos bordados que mostrei há uns tempos atrás com a técnica do pingado aqui neste post.


Gráficos: DMC
                                                       
     





segunda-feira, 2 de abril de 2018

Constança´s Easter gift - part 1



Este novo ano trouxe com ele um bom motivo para eu voltar a pegar nas minhas agulhas: a minha priminha Constança que fez três mesinhos na semana passada e que é o membro mais pequenino da nossa família. Uma princesa que veio encher de alegria os papás babados e a família mais chegada.
Como não consigo deixar passar estas alturas sem meter mãos na massa, que é como quem diz pegar nas agulhas e bordar algumas peças para a bebé e para os papás, fui comprar umas peças de bebé com espaços para bordar para dar de presente porque o resto dos materiais eu tinha em casa.
Estes são daqueles presentes especiais que gosto de fazer para oferecer nestas alturas pois são recordações que criam memórias que ficam para sempre: poder bordar algo para a minha prima mais pequenina e o facto deles receberem estas peças que fiz com tanto carinho para assinalar o nascimento da princesa.
Entre as indecisões iniciais entre escolher o que bordar, escolher entre o mais simples e o mais elaborado, pensar se queria algo com muitos bonecos ou não, achei por bem simplificar pois as peças por si só já eram bem engraçadas e não precisavam de bordados muito complexos para as realçar.
Estas duas peças não eram por si só um conjunto mas tornaram-se num pois os tons de vermelho eram muito parecidos: um babete branco com uma fita de viés de cor vermelha com pintinhas brancas e um lacinho vermelho a meio e um DMC soft toy joaninha que eu ao fim de alguns anos ainda consegui comprar como resto de coleção, um verdadeiro achado que só quem já conseguiu comprar peças descontinuadas sabe qual é a sensação que se sente.
É engraçado que uns dias antes de preparar as peças para bordar para a Constança, eu pensei que seria lindo bordar esta joaninha porque há uns anos largos eu já tinha bordado uma e queria muito poder dar uma à Constança mas eu tinha consciêncis de que seria difícil achar uma para comprar pois ela tinha sido descontinuada faz tempo. Mas não é que consegui comprar mesmo uma joaninha?
Eu acredito que quando queremos muito uma coisa, Deus a coloca no nosso caminho, assim como uma espécie de presente para nós e tenho quase a certeza de que foi o que aconteceu. Fiquei mesmo muito feliz por ter conseguido comprar este soft toy e dei mesmo um pulo de contente quando o consegui comprar pois não achava que seria possível.
E porquê um soft toy da DMC?
Em primeiro lugar porque são indicados para os bebés logo assim que nascem pois a DMC tem muito cuidado no fabrico destas peças. Em segundo lugar, só quem pertence ao mundo dos bordados é que os conhece e tem mais facilidade em comprar, embora nem todas as lojas e retrosarias os tenham disponíveis, tornando-os numas peças exclusivas e que acabam por ser presentes únicos por terem o pequeno babete para bordar e presonalizar porque mesmo que se comprem dois iguais nunca se bordam da mesma maneira. Depois esta coleção dos soft toys está sempre a ser renovada pela marca e o que se compra hoje amanhã pode já ter sido descontinuado, de maneira que há sempre novos peluches a chegar às lojas.
Assim, quando quero bordar presentes para recém nascidos a minha escolha recai nestes soft toys/peluches da DMC porque numa época em que é tudo tão igual para todas as crianças nas lojas de brinquedos, eu gosto de poder bordar estes soft toys por serem diferentes.
No babete optei por bordar apenas o nome, com um tipo de letra que faz lembrar a caligrafia que usávamos nos tempos da escola. A minha ideia inicial era bordar mais alguma coisa depois de bordar o nome mas gostei tanto da simplicidade da peça que optei por deixar ficar como estava pois mais alguma coisa ia tirar a beleza a este babete.

Já a joaninha soft toy/peluche da DMC optei por personalizar apenas com a inicial no mesmo tom de vermelho do corpo da joaninha. Tinha na minha caixa de linhas, uma cor de linha que era exatamente a mesma do peluche e do viés do babete e foi a que usei nas duas peças. Saiu então das minhas agulhas este delicioso soft toy personalizado que é só da Constança.

Numa época em que é tudo tão igual para todas as crianças nas lojas de brinquedos, eu gosto de poder bordar estes soft toys pois por um lado são diferentes e só quem pertence ao mundo dos bordados é que os conhece e tem mais facilidade em comprar, por outro lado acho que são presentes únicos por terem o pequeno babete para bordar e presonalizar e mesmo que se comprem dois iguais nunca se bordam da mesma maneira. Além de que são indicados para os bebés logo assim que nascem pois a DMC tem muito cuidado no fabrico destas peças e sempre que posso bordar presentes para recém nascidos a minha escolha recai nestes bonecos. a coleção é que está sempre a ser renovada e o que se compra hoje amanhã pode já ter sido descontinuado e há sempre novos peluches a chegar à coleção da marca.

Antes de fazer o embrulho consegui tirar umas fotos ao avesso das peças. 
Quando estava a bordar estes miminhos, lembrei-me que nestes anos todos em que tenho o blog nunca mostrei o avesso das minhas peças. Por norma, preocupo-me sempre em fotografar o direito dos trabalhos para colocar aqui no blog e nunca me lembro a tempo de fotografar o avesso mas desta vez consegui fotografar o avesso dos dois trabalhos. 
Se o avesso do soft toy foi fácil de fotografar, o avesso do babete foi mais complicado e apanhei na foto apenas metade do nome pois o lacinho já vinha cosido na peça quando a comprei, o que dificultou tirar uma foto em condições mas acho que dá para apreciar o avesso das duas peças nestas duas fotos que aqui publico.



Gráficos: DMC e nome feito por mim a partir de um alfabeto antigo